Casa Verde e Amarela será votado na Câmara; entenda o que MUDA nos financiamentos

Apesar do novo programa habitacional ter sido anunciado há alguns meses, ele ainda não entrou em vigor e muitos detalhes precisam ser revelados. A expectativa é de que o programa comece a funcionar de fato em 2021 e por isso o governo federal precisa correr contra o tempo para que o projeto seja votado e aprovado.

No início de dezembro, o governo analisou o texto do Casa Verde e Amarela, mais especificamente, o texto foi votado recentemente na Câmara dos Deputados. Esse texto prevê a criação da Medida Provisória que dá vida ao novo programa habitacional que irá substituir o Minha Casa Minha Vida.

Para entender melhor sobre o que muda nos financiamentos imobiliários a partir de agora, leia a seguir.

MP do Casa Verde e Amarela é votada

O novo programa habitacional, conhecido como Casa Verde e Amarela, vem sendo trabalhado e ajustado desde o início do ano e é um dos marcos da gestão do atual presidente Jair Bolsonaro. O intuito é reformular o atual programa Minha Casa Minha Vida e disponibilizar condições mais acessíveis para as famílias mais pobres, construir moradias com melhores estruturas e ajudar as famílias de diversas formas.

O texto da Medida Provisória que cria o novo programa está sendo votado nesse mês de dezembro pela Câmara dos Deputados. A expectativa é que o texto passe por essa análise e a pauta seja aprovada sem precisar passar por nenhuma edição ou ajuste. Alguns pontos já foram reformulados para que o novo programa fique de acordo com a lei habitacional.

Através desse texto, podemos saber quais são as principais mudanças para o novo programa e o que a população pode esperar dele. Conferir todas essas informações é muito importante principalmente para as famílias que desejam participar.

Juros menores

O novo programa quer oferecer mais benefícios e vantagens para facilitar o financiamento habitacional e deixa-lo mais acessível a todas as famílias. Um dos principais destaques do novo programa é a redução de juros.

No programa atual, há uma variação entre 5% e 5,5% nas taxas de juros de acordo com a renda familiar, mas no novo programa, está previsto uma redução em até 0,5 ponto percentual para as famílias mais pobres e até 0,25 ponto para os demais.

Com isso, a taxa de juros será de, em média, 4,25% ou de até 4,5% para todos os participantes. Com uma taxa de juros menor, a família também acaba pagando menos no valor total do financiamento e consegue economizar.

Regiões Norte e Nordeste com melhores condições

O novo programa também está com um foco maior para as famílias mais pobres e necessitadas e daquelas que residem nas regiões do Norte e Nordeste brasileiro. Isso porque essas famílias costumam ter uma realidade um pouco diferente do restante do país e por isso precisam de uma atenção maior.

Com essa reformulação, o foco do programa será as regiões do Norte e Nordeste brasileiros que irão poder contar com os juros ainda menores e uma ampliação na renda máxima para se enquadrar no grupo 1 do programa. Por exemplo, enquanto

uma família de demais regiões do país precisará ter até R$2 mil de renda mensal para se enquadrar no grupo 1, as famílias do Norte e Nordeste poderão ter uma renda de até R$2,6 mil e participar do programa. Essas famílias ainda vão poder usar os recursos do FGTS como principal forma para quitar o financiamento.

Reforma de imóveis pelo Casa Verde e Amarela

A reforma de imóveis, algo que não era possível com o Minha Casa Minha Vida, vai poder ser realizada com o Casa Verde e Amarela. O novo programa vai autorizar a realização de reformas em um imóvel, por exemplo, a família poderá usufruir o valor do financiamento obtido para reformar uma residência já existente.

Com o Minha Casa Minha Vida, as famílias só podem usar o valor do financiamento para construir uma casa do zero. Agora, poderão escolher um imóvel já construído e investir todo o valor para fazer uma reforma e melhorar a residência.

Novos grupos de renda

Outra mudança significativa desse novo programa são os grupos de renda. No programa atual, existem 4 faixas de renda e no novo programa, serão somente 3 faixas. Enquanto que no Minha Casa Minha Vida, o teto máximo para participar é de R$9 mil mensais, no Casa Verde e Amarela o teto máximo será de R$7 mil mensais.

O grupo 1 é para famílias com uma renda mensal de até R$2 mil ou R$2,6 mil (regiões Norte e Nordeste. O grupo 2 é de famílias com uma renda mensal de até R$4 mil, enquanto que o grupo 3 é para famílias com renda mensal de até R$7 mil.

Quando o Casa Verde e Amarela entrará em vigor

O Casa Verde e Amarela está previsto para começar a funcionar no início de 2021, por isso é fundamental que a MP do programa seja aprovada. Assim, todas as regras e detalhes podem ser anunciados e o programa pode começar a beneficiar milhares de famílias brasileiras já a partir do mês que vem.

Como participar do Casa Verde e Amarela

Se a sua família quer participar do Casa Verde e Amarela, seja para adquirir um imóvel novo ou para reformar um imóvel já existente. Para quem quer participar, é fundamental ficar de olho em todas as novidades sobre o programa e conferir se preenche todos os requisitos necessários.

Para as famílias do grupo 1, tudo indica que a participação continuará acontecendo através das prefeituras ou das entidades organizadoras do seu município. As famílias dos demais grupos, poderão contratar diretamente com a Caixa ou com uma imobiliária que seja parceira.

Ficando de olho em todas as novidades você consegue ficar por dentro do que está rolando com o novo programa e assim garante a sua participação o quanto antes. Com o Casa Verde e Amarela, as famílias poderão aproveitar melhores condições para a aquisição da casa própria.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *